Inovação tecnológica

13/12/16 10:26
      A transferência de tecnologia é uma das principais metas do CERSusChem. Nosso objetivo final é o desenvolvimento de uma caixa de ferramentas para operar reações catalíticas e ensaios que irá permitir aplicações práticas que impactam na maneira de fabricar novos produtos ou aqueles já no mercado com processos mais sustentáveis e econômicos, visando o bem-estar social e respeito às legislações ambientais. A estratégia para a inovação e transferência de tecnologia é baseada em duas frentes: pró-atividade por um lado, e respondendo à demanda industrial pelo outro.

Workshop Marco Regulatório da Biodiversidade Brasileira

O Workshop foi promovido pelo CERSusChem no dia 02/12/2016 das 14h30 as 18h30 no Auditorio 1 da Biblioteca Comunitaria da UFSCar. O programa contou com as seguintes palestras:

  • A Lei da Biodiversidade: perspectivas e impactos, Dr. Thiago Augusto Zeidan Vilela de Araujo (Ministério do Meio Ambiente)
  • Biodiversidade na UFSCar: avanços e desafios, Profa. Dra. Heloisa Sobreiro Selistre de Araújo (UFSCar)
  • A Lei da Biodiversidade: experiências acadêmicas em projetos compartilhados, Profa. Dra. Mônica Tallarico Pupo (FCFRP – USP)
  • A Lei da Biodiversidade: experiências industriais em projetos compartilhados, Dr. Luiz Ricardo Marinello (LFM – Advogados)
  • Moderador: Dr. Marcelo Ferro Garzon (FAI-UFSCar)

Workshop Inovação em Análise de Enantiômeros

O Workshop foi promovido pelo CERSusChem e patrocinado pelas empresas Acore Consumíveis e Daicel Chiral Technologies no dia 29 de setembro de 2016 no Departamento de Química da Universidade Federal de São Carlos.

Os tópicos abordados no workshop foram:

  • Desenvolvimento de metodos com colunas quirais (Screening);
  • As novas tecnologias quirais - Fases Imobilizadas;
  • Colunas de Polissacarideos de Fases Normais e Reversas;
  • Selectores quirais especiais;
  • Cuidados especiais para colunas;
  • Colunas quirais e aplicações por LC/SFC

 


 Liberação de patente

A Farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK) anunciou planos de melhorar o acesso aos seus medicamentos nos países mais pobres do mundo. Em 31 de março deste ano, a empresa informou que liberaria patentes em muitos países em desenvolvimento. Isso significa que os fabricantes de genéricos nesses países seriam capazes de fornecer versões de medicamentos da GSK sem se preocupar com ações judiciais. A GSK também sinalizou que pretende melhorar o acesso aos medicamentos de baixo custo, o que pode ajudar a lidar com a crescente incidência de câncer nas nações em desenvolvimento. Defensores da saúde pública aderiram à notícia e estão estimulando outras empresas farmacêuticas a seguir o exemplo.

Mais informações: http://www.gsk.com/en-gb/media/press-releases/2016/gsk-expands-graduated-approach-to-patents-and-intellectual-property-to-widen-access-to-medicines-in-the-world-s-poorest-countries/