Carmen L. CardosoCarmen L. Cardoso

FFCLRP-USP - Perquisador

E-mail

Enviar

Carmen Lucia Cardoso é Bacharel em Química Tecnológica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) em 1997 e nessa mesma instituição concluiu seu Doutorado em Química Orgânica em 2003, na área de Produtos Naturais, com ênfase na purificação e identificação de compostos ativos de plantas . Realizou seu pós doutoramento entre 2003 e 2006 na Universidade Federal de São Carlos com projeto de pesquisa em imobilização de enzimas de parasitas em capilares de sílica acoplados a sistemas de cromatografia líquida multidimensional para utilização na triagem de inibidores. Atua na área de produtos naturais e no desenvolvimento e aplicação de ensaios enzimáticos online em sistemas cromatográficos para triagem de inibidores seletivos. Possui experiência em Química de produtos naturais, (alcalóides indólicos, Rubiaceae) imobilização de enzimas, métodos cromatográficos multidimensionais e triagem de ligantes. Tem interesse principalmente em enzimas alvo relacionadas às doenças negligenciadas e colinesterases. Atualmente é professora Doutora II da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da USP de Ribeirão Preto. Orienta projetos de mestrado e doutorado.

Linha de pesquisa

1. Desenvolvimento e caracterização de reatores enzimáticos para screening de coleções combinatórias e extratos naturais na busca de inibidores específicos, utilizando-se da Cromatografia Multidimensional e técnicas hifenadas.

Objetivo: Desenvolvimento de biorreatores enzimáticos pela imobilização de alvos biológicos a suportes cromatográficos e sua utilização como técnica rápida e eficaz que auxilie na identificação de moléculas bioativas. O uso da biocromatografia para mimetizar ações biológicas tem demonstrado grande eficiência como uma técnica de triagem de alta eficiência. Essa técnica permite a avaliação das interações existentes entre ligante -receptor e estudos de afinidade entre a moléula e o alvo biológico. de um modo geral as substâncias que possuem maior afinidade pelo alvo biológico permanece retida por mais tempo. A imobilização desses alvos biológicos é uma alternativa promissora uma vez que a imobilização de enzimas tem mostrado diversas vantagens sobre ensaios enzimáticos em solução que incluem a necessidade de pequenos volumes de amostra, o aumento de tempo de vida e estabilidade da enzima e sua reutilização. Essas vantagens são extremamente úteis para a realização de estudos enzimáticos on-line. 
Grande área: Ciências Exatas e da Terra
Palavras-chave: triagem; acetilcolinesterase; cromatografia seletiva de afinidade; inibidores enzimáticos.

 

2. Estudo Fitoquímico biomonitorado de extratos de plantas do Cerrado Brasileiro e de origem microbiológica:Desenvolvimento de metodologias cromatográficas para a separação e caracterização de micromoléculas bioativas

Objetivo: O estudo de extratos naturais com atividade biológica utilizando técnicas cromatográficas hifenadas (CL-EM)que permitam a rápida identificação da substâcia responsável pela atividade biológica detectada e posterior isolamento de quantidades suficientes para bioensaios mais específicos.. 
Palavras-chave: bioatividade; cromatografia liquida; espectrometria de massas.